31 de janeiro de 2010

Solilóquio de entendimento

Eu pensei que pudesse ser feliz.

O garoto estava deitado em sua cama e olhava para o teto como se o mesmo fosse seu psicólogo ou um ouvinte compreensivo. Há um tempo atrás no lugar do teto costumava ser algum ouvinte, mas naqueles dias, nenhum tipo de ouvinte poderia compreendê-lo, então acabava entregando-se a um verdadeiro solilóquio.

Mas me enganei.

As frases eram jogadas no ar de formas pausadas. Não começava um desabafo como qualquer pessoa comum faria, apenas falava suas conclusões, sem se importar em contar o porquê delas.

Acho que sou apenas mais um a se enganar, mas fazer o que?

E dessa forma ia, quem o escutasse não entenderia nada. Mas ele, quem deveria entender, entendia tudo.

6 comentários:

Victória Andressa disse...

Adorei o texto, apesar de simples palavras, tem muito mais coisa aí do que aparenta. Só ele mesmo pra entender o que não entendia e o que deveria entender. Ótimo texto e bonito blog.Parabéns!

http://tacadesabedoria.blogspot.com/

Vinicius Oliveira disse...

gostei do seu blog, mas nesse post tenho uma pequena critica, aumenta um pouquinho só a letra ok? fica a dica
parabens pelo blog mais uma vez

http://viniciusoliveiraa.blogspot.com/

I.A.Biscotto disse...

profundooo

Palavras Avulsas disse...

gosto de te leeer!
esperando o proximo texto. ;]

Bella Fowl disse...

Agradeço muito *-*

Antonio Afonso disse...

união de um texto romantico e palavras simples é uma coisa importante para quem escreve. a maioria gosta muito...
ficou muito bom , profundo, apesar de eu não gostar do estilo.

mas seu blog é legal , gostei

www.badabinbadabun.blogspot.com

Postar um comentário