16 de dezembro de 2009

Sonho de cantora

A menina era sonhadora e com muito esperança no coração. A vida inteira havia sonhado com somente uma coisa: Ser cantora. Encantava-se com Águas de março, Samba de uma nota só, Menina Veneno, Aquele abraço dentre outras lendas da música brasileira. Escutava a essas músicas durante o dia inteiro e nem sequer tinha infância, já que para ela, não havia outra coisa que importasse senão a música.

Sua mãe se preocupava, já seu pai achava apenas graça. Havia uma coisa especial naquilo tudo. Afinal, ele já havia sonhado ser poeta e recitara diversos versos na rua em troca de alguns trocados ou pelo simples prazer de ser ouvido.Ver sua filha tendo aquele tipo de sonho o fazia restaurar no presente um passado já muito distante.

Aos poucos a mãe foi perdendo a preocupação, já que quando tentava mandar a menina brincar, o pai a reprimia com olhares repressivos. Não havia nada demais, afinal. Apenas um sonho de ser cantora que poderia morrer com o tempo ou se expandir até dar certo ou ser substituído por um alternativo.

Mas o sonho cresceu.

A menina com o tempo ganhou seu primeiro violão, fruto de muito trabalho, já que sua renda não era lá muito favorável e passou a cantar com um amigo que mais tarde viria a se tornar mais do que isso.

E ela cantava em alguns consertos musicais, coisa simples, mas que era o suficiente para atrair os aplausos e o coro de vozes que tanto gostava.

Mas aí cresceu e viu que os consertos simples não bastariam. Tentou seguir outro caminho, mas era difícil, apenas os cantores já reconhecidos tinham um bom espaço. Ainda mais ela, sem muito dinheiro e no interior. Com certeza oportunidade era uma em um milhão se aparecesse.

E o sonho foi se perdendo pouco a pouco em meio de cartas de recusa de algumas gravadoras e da falta de resposta dos caça-talentos. Tornou-se professora de música, conciliou seu sonho com o que podia fazer. Não era lá muito feliz, mas bastava, bastava. As aulas vezes ou outras lhe arrancavam dos lábios alguns sorrisos de admiração pelo outro. Afinal, era muito satisfatório ver seu aluno se superar. Mas seu sonho inicial ainda permanecia intocado dentro de si, esperando a oportunidade de se realizar que poderia nunca vir a aparecer.

1 comentários:

jefhcardoso disse...

Olá! Com licença; deixe que me apresente: sou Jeferson, um homem comum que gosta de escrever. Quando tenho um tempo saio vadio em visitas a blogs, seguindo a seta que aparece no auto da pagina inicial (próximo blog>>). Posso afirmar que é uma experiência “deliciante”.
Quando encontro um blog bem legal eu posto um comentário e deixo o convite para que conheçam o http:jefhcardoso.blogspot.com/ . Pela proposta de seu blog creio que poderá encontrar algo em minha sessão em preto e branco, que data de novembro.

Parabéns por seu blog e desculpe a intromissão.
Abraço: Jefhcardoso.

Postar um comentário