6 de fevereiro de 2011

Inexistência

Não há canção
Que nos resuma
Não há ação
Que nos una

Pois nada existe
Não há amor
Somente a dor
Que assim insiste

Não há nós dois
Só o eu sozinho
E assim caminho

Pois nada há
Pois tudo dói
E o amor destrói

1 comentários:

isa m. ~ kah disse...

Poema suicida, mas todos nós temos nossos momentos. Ficou ótimo, como sempre. =)

Postar um comentário