14 de agosto de 2010

Dedólogo

Eu sempre fui um clínico geral. Não gostei da ideia de me especializar em uma área só e preferi ficar com todas elas. Sabendo todas elas e aprendendo mais e mais a cada dia. Na minha cidade, clínicos gerais eram bem raros então clientes não me faltavam.
Não sei ao certo o porquê de eu estar fazendo tal introdução, já que minha vida não é o assunto principal dessa crônica. Mas é para vocês entenderem o quanto eu valorizo essa coisa do saber de tudo em pouco. Se especializar em assuntos muito específicos nunca me agradou.
Acabando com as delongas e partindo para os finalmentes, vou contar o que me ocorreu em um dia desses.
Eu estava em um congresso. Desses dos muito importantes. Havia médicos de todas as partes do Brasil e cada um deles possuía sua própria área de pesquisa. Eu, como sou muito interessado pela área de câncer, estava apresentando um trabalho sobre. Mas como não havia somente minha apresentação, assisti outras, aproveitando para me aprofundar em outras áreas.
Foi quando me deparei com um dedólogo. Rapaz, um dedólogo. Não bastando um podólogo, algo que até ontem achava o assunto absurdo, veio um dedólogo, especialista em dedos dar a palestra sobre o dedo indicador.
Tentei não levantar a mão para perguntar como o profissional queria ser tão específico. Graças aos céus veio um outro para tirar-me essa ideia da cabeça. No entanto, colocou uma ainda pior na mente.
“Eu sou um especialista em dedos indicadores. Fiquei muito interessado na sua pesquisa. Qual dedólogo você usou como referência?”
Só me faltava essa. Um especialista em dedos indicadores. Para a minha sorte, um impulso não me veio de me revoltar ali. Continuei sentado e fingi que aquilo tudo era normal. Considerando a expressão dos presentes, de fato aquilo era a coisa mais natural do mundo.

1 comentários:

lorrayne t. disse...

Incrível como a gente se surpreende todo dia!

Postar um comentário