21 de julho de 2010

Traição

- O problema do ser humano é que ele muitas vezes abandona o seu lado humano. E o mais problemático é que isso é frequente.
Dave era um investigador diferente de todos que Nora já havia conhecido. Era um apaixonado extremamente sentimental e frustrado com a vida. Conseguia agradá-la por ser tão meigo, mas a questão é que não agradava a si mesmo. Não conseguia entender o quão maravilhoso era e só conseguia ficar lá, em sua bolha de sentimentos que a impressionava cada vez mais.
- Veja bem - continuou - Eu até entendo uma pessoa cometer um assassinato para se vingar. Ela está cometendo um ato baseado em seus sentimentos. Mas eu não entendo uma pessoa que a traiu.
Ele olhou, pela janela a prova de som, para a moça que se encontrava na mesa destinada aos interrogatórios. Esta havia confessado assassinato e o motivo era o de ter sido traída.
- Consegue me compreender?
Nora olhou para ele um pouco confusa. Apesar de ele ser muito doce, ainda assim era uma mente muito difícil de ser compreendida. Que tipo de investigador conseguia de certa forma apoiar um assassinato?
Dave viu a dúvida no olhar de Nora e devido a isso continuou.
- Pelo que vi nessa situação, não foi um caso em que a pessoa tivesse traído porque descobriu amar outra. Ela fazia isso por prazer e somente isso, sem pensar nos filhos e sem pensar em sua parceia. Não acha isso egoísta demais?
- Sim, mas a parceira também matou a vítima sem pensar nos filhos.
- Você considerou o fato de ela estar bêbada? Não tinha consciência do que fazia, apesar de tudo. O parceiro, por sua vez, repetiu o erro estando consciente.
- Está defendendo a moça?
- Não estou defendendo ninguém. Pelo contrário, estou condenando quem traiu. E olhe, em meus dois anos investigando, já me deparei com esse tipo de situação, sendo que em três desses casos quem traiu saiu impune enquanto quem se vingou foi para a cadeia. Não é muito contraditório?
- Bom, ele não cometeu assassinato...
- Mas cometeu uma traição. E acredite, a marca da traição fica para sempre no peito de quem foi traído.
Nora olhou para ele enquanto tentava entender o porquê de aquela discussão ter se iniciado. Com certeza havia algo mais, algum passado desconhecido que Dave sempre escondia para si.
- Desculpa a pergunta, Dave... Mas você já foi traido?
Ele continuou olhando para a moça por algum tempo, mas depois se virou para Nora e respondeu com uma voz angustiada:
- Não, mas minha mãe já. E acredite, ela nunca mais foi a mesma depois disso.

2 comentários:

heyho disse...

wow .-.

reh disse...

bellaaaaaaaa..........to sem net ate sabado,to nacasadeum amigoteavisando kkkkkk eiin... assimque eu entrar posto la no Just a Game ok??bjsbjs.


rehh

Postar um comentário