29 de abril de 2010

A invasão

Tentei entender o que acontecia ao longe. A coisa que se seguia em nossa direção era diferente de qualquer outra que já vira um dia. Devia ser um sinal da mãe terra ou coisa assim.
“A mãe terra está nos mandando um sinal! Vamos nos ajoelhar e mostrar respeito!”
A confirmação veio com o sinal do nosso líder. Ajoelhei-me de imediato sem nem sequer questionar. Uma onda de respeito logo se apoderava de mim, afinal, era a mãe terra, nossa mãe, nossa vida e nosso mundo.
Ficamos naquela posição de respeito enquanto observávamos a coisa se aproximar ainda mais. Parecia ser feita de madeira e havia uma coisa branca com um desenho em vermelho.
E aí, depois de uma espera que com certeza demorou muito, o barco parou e de lá saíram homens completamente distintos de nós.
Nunca pensei que eles fossem significar o nosso fim.
Chegaram carregando objetos estranhos e logo pude perceber que suas expressões não eram nada amigáveis e sim repletas da mais completa onda maligna. Não tiveram respeito por nós ou pela nossa terra, apenas destruíam, sem parecer entender o significado real daquele chão em que pisávamos, ou do ar que respirávamos.

3 comentários:

ANA CLÁUDIA disse...

Perfeita estimativa de pensamento.
Belo post. =T

Palavras Avulsas disse...

Não sei se entendi a sua mensagem, mas pra mim se trata da invasão portuguesa aqui no brasil.

enfim, a amei a forma discreta que vc utilizou para abordar tal questão.
obrigado por ler as minhas postagens e obrigado por me dar a honra de ler as suas.

Acho que nos seguimos uma lingua de escrita semelhante.
beijos!

Bella Fowl disse...

Agradeço muitíssimo :D. É bom saber que gostam de minhas palavras
Beijos

Postar um comentário